02 sep

Muitas pessoas, devido a grande influência da mídia, rapidamente acreditam que o termo “Favela” só pode ser associado à negatividade e encrenca. É fato que muitos brasileiros e turistas nem pensam em entrar em uma img_1224favela. Até mesmo minha mãe, uma carioca, diz que nunca faria isso tendo outra escolha. Muitos podem perguntar, “por quê?”. Depois de ignorar o conselho da minha mãe, saí em minha procura por esclarecimento, para tentar descobrir o que há nas favelas do Rio.

Com uma bela vista para as areias de Copacabana e Ipanema encontra-se a populosa comunidade Pavão-Pavãozinho. Mesmo sendo notoriamente tão pobre e violenta quanto outras comunidades, como a Rocinha, estas partes do Rio têm, ironicamente, uma das melhores vistas da cidade.

img_1225Luiza, nossa guia oficial do Caminhos Language Centre conhece o Pavão-Pavãozinho muito bem, já que um terço de sua família mora nesta infame parte da cidade. Assim que entra, é difícil não achar o aspecto físico bem confrontante. Há animais passando pelas ruas, lixo espalhado entre as ruelas apertadas e, definitivamente, uma sensação de revolta. Vamos apenas dizer que você não pode ficar mal por sentir-se vulnerável. No entanto, Luiza rapidamente acalmou nossos nervos com algumas palavras de conforto:

 “Você tem mais chance de ser assaltado no Centro do que aqui.”

Conforme entrávamos no labirinto de curvas íngremes e apertadas, nossos nervos começaram a acalmar e começamos a entender como o Pavão-Pavãozinho funciona. Nossas preconcepções influenciadas pela mídia sobre caos, desorganização e violência foram rapidamente anuladas enquanto éramos simpaticamente introduzidos à comunidade. Muitos amigáveis “boas tardes” foram trocados enquanto img_1236testemunhávamos como as coisas funcionavam, e até mesmo aprendemos que a organização da comunidade pode ser vista consideravelmente como medieval – tendo normalmente apenas um homem que controla tudo.

Mesmo que, no passado e presente, favelas do Rio como o Pavão-Pavãozinho tenham tido muitos problemas, hoje em dia elas geralmente perderam sua fama. Há mais oportunidades para as crianças terem acesso à educação e atividades extracurriculares, acesso à água, eletricidade e saneamento básico, e mesmo as casas mais carentes da comunidade estão sendo legalmente registradas.

O longo passeio fez com que a fome batesse, então entramos na humilde cozinha da Tia Maria (deusa da learn-portuguese-in-rio-de-janeiroculinária do Rio, que também adotou 27 crianças durante sua vida). Ela forneceu nossas mentes curiosas com pratos da culinária brasileira, como farofa, feijão e frango assado. Na verdade, muitas comidas brasileiras foram originadas nas favelas.

 Então, se você está curioso para saber o que faz da farofa uma comida tão gostosa e quer saber um pouco mais da história da comida brasileira, vá até a cozinha dela e a Tia Maria vai ficar mais do que feliz em cuidar de você!

 Mesmo que a chuva de inverno tenha começado a cair enquanto prosseguíamos para a última descida do Jardim do Céu para uma vista espetacular de Ipanema, ficou mais nítido que os morros turbulentos do Rio de Janeiro têm um lugar muito importante na cidade. Sim, há violência e sim, há problemas, mas o denso ar da cultura e o respeito mostram que não há nada mais do que uma tração turística.learn-portuguese-in-rio-de-janeiro

Dicas úteis:

 – Tente tirar poucas fotos. Se você quer tirar uma foto, peça antes.

 – Muitas portas ficam abertas, então respeite as famílias que estão ali dentro enquanto passa pela frente.

 – Não se preocupe! Você está com um guia experiente que conhece as entradas e saídas do Pavão-Pavãozinho, então não há nada para se preocupar.img_1251

 – Mais importante, divirta-se!

Se está interessando em um Tour Educacional pela Favela Pavão-Pavãozinho com Luiza ou Agatha, agende sua vaga no Caminhos Language Centre em http://caminhoslanguages.com/activities/paid-activities