10 Nov

por Denise Recalde

Estudos demonstraram que falar duas ou mais línguas faz maravilhas ao processo cognitivo. Os cérebros de pessoas bilíngues funcionam diferentemente do que o de monolíngues de uma forma que oferecem benefícios cognitivos múltiplos. Indivíduos que começaram a estudar uma segunda língua enquanto adultos ainda podem obter o mesmo nível de fluência do que uma criança, além de obter os mesmos benefícios cerebrais. Aqui estão cinco vantagens mentais de se aprender uma língua estrangeira:

Seu QI aumenta

Falar uma segunda língua amenta a funcionalidade do cérebro conforme é desafiado a negociar significados, se comunicar e reconhecer diferentes sistemas de linguagem. Você também ficará mais apto a negociar significados em perguntas e resolução de problemas. Jovens que estudam uma segunda língua consistentemente atingem melhores resultados em testes padronizados do que alunos monolíngues, particularmente quando falamos de leitura, vocabulário e matemática.

Você se torna melhor em múltiplas tarefas

Bilíngues, particularmente crianças, são bons na troca de sistemas diferentes de discurso e escrita. Um estudo da Universidade Estadual da Pensilvânia descobriu que esta habilidade os faz tão melhores em multitarefas que eles acham fácil trocar de sistemas de pensamento. Pesquisadores também descobriram que pessoas polilingues conseguiram prestar atenção em tarefas distrativas enquanto usavam um simulador de condução e cometeram menos erros do que monolíngues.

Você se mantém longe de Demência e Alzheimer

Múltiplos estudos provaram este tópico e suas conclusões são universalmente consistentes. Para adultos que falam somente uma língua, a idade média em que a demência começa a surgir é 71,4. Para adultos que falam duas ou mais línguas, essa idade média passa para 75,5. Os estudos levaram em conta fatores como nível de renda, saúde física, gênero e nível de educação, mas os resultados entre todos os estudos foram praticamente os mesmos.

Sua memória fica melhor

Para muitas pessoas que estão inseridas no mundo da educação, o cérebro funciona como um músculo – o exercício faz com o que ele funcione melhor. Aprender uma nova língua significa constantemente relembrar regras de vocabulário e gramática, o que exercita este “músculo” pensante. Todos os exercícios envolvidos no aprendizado de uma nova língua aumentam a memoria do cérebro; pessoas que falam mais de uma língua são boas em lembrar sequencias e listas. Estudos concluíram que bilíngues também são melhores que monolíngues no que diz respeito a lembrar de direções, listas de compras e nomes.

Você toma melhores decisões

Um estudo da Universidade de Chicago descobriu que bilíngues são melhores tomadores de decisões racionais. Porque os vocabulários de todas as línguas têm nuances e carregam significados sutis, esses vieses podem ter um efeito sobre como você toma uma decisão. Bilíngues estão acostumados a pensar mais sobre suas opiniões na sua segunda língua e veem se seu processo racional de fazer uma escolha ao invés da outra ainda se aplica.

Biografia do autor:
Denise Recalde é Escritora de Conteúdo Sénior na Day Translations, uma das maiores empresas de tradução e interpretação do mundo. Constantemente em busca de novos desafios – tanto profissionais quanto pessoais – Denise já viajou por mais de 14 países do mundo e coordenou com sucesso vários projetos escritos em indústrias que passam de beleza e moda à saúde e educação à negócios em seus 11 anos de carreira.