info@maiscaminhos.org
+55 (21) 2267-6552

Depoimentos

Depoimentos

Cheguei ao Rio como intercâmbista e em seguida me apaixonei com a cultura brasileira. Por isso estava com muita vontade de conhecer a realidade brasileira toda, ou seja, conviver com pessoas de classes sociais diferentes, e me sentir util.  Gostei muito do projeto Mais Caminhos e da atitude de disciplina positiva que eles aplicam e decidi entrar no programa como voluntaria, para uma tarde toda semana.

Descobri que a transmissão de conhecimentos era a parte emergida do iceberg, mas para mim o proposito e o sentido desse voluntariado é o seguinte: tirar a crianças do morro, da violência e dos problemas dos adultos para deixar elas serem crianças, ensinar para elas que, como seres humanos, elas tem um valor infinito, são capazes de muito, merecem respeito e carinho.

As maiores felicidades: ver nossas crianças agirem como crianças, ou seja, rir por besteiras, brincar, aceitar receber e mostrar carinho! É um trabalho a longo prazo porque demora várias semanas, as vezes meses, para as crianças aceitarem e confiarem no voluntário. Mas no final recebi muito carinho das crianças e elas se mostraram muito abertas e curiosas comigo que venho da França.

Aprendi muito com nossas crianças: paciência, psicologia, criatividade (elas sempre querem novidade para aprender!)… coisas que posso adaptar no meu trabalho ou se um dia eu tiver filhos! Adorei essa experiência e indico para todo mundo.

Alice Guyot, France

“Ser voluntária do Mais Caminhos me trouxe uma grande experiência pessoal e profissional. Um aprendizado que levarei para a vida toda! Conhecer as necessidades e o que as crianças precisam para melhorar seu desenvolvimento foi de grande preciosidade. Aprendi muito, principalmente a ter mais paciência e respeita-las, ajudar com suas dificuldades e entender o seu mundo.
O programa Mais Caminhos foi uma grande porta de entrada para saber e obter mais conhecimentos, eles fazem um papel muito importante na vida dessas crianças, faz com que elas tenham liberdade para se expressar e fazer o que gostam de uma maneira saudável, ajuda no desenvolvimento e acolhe com todo carinho e dedicação.”

 Daiane Gonçalves, Brazil

Quando fui desligada da empresa em que estava trabalhando, pensei em transformar esta nova realidade em algo positivo, em aproveitar este momento realizando alguns sonhos. Um deles seria doar mais tempo ao voluntariado, algo que sempre fez parte da minha vida, mas de uma forma secundária. Queria algo ligado a educação, pois acredito que esta é a única forma de transformar a vida de uma pessoa.

Comecei procurando pelo internet e descobri o site atados.com. Dentre várias opções, a que logo se destacou pela proposta tão ousada era o Mais Caminhos.

Procurei ler mais, quando encontrei uma amiga que estava trabalhando com voluntariado há algum tempo e me surpreendi  ao saber que era no Mais Caminhos. Depois deste momento, não havia mais dúvidas. Era algo divino.

Encontrei um ambiente acolhedor, com uma proposta de fazer a diferença na vida das crianças, não só ensinando inglês como cidadania O foco principal é fazer com que as crianças se conheçam, alimentando principalmente sua autoestima.

Quando você começa um voluntariado, você acredita que vai ensinar, que há uma hierarquia entre alunos e professores. Não é nada disso…na verdade, vai além disso. É uma troca sensacional. Você aprende a ser maleável, a ouvir, a se importar, a amar muito e compreender.

 Adorei participar deste grupo de voluntários e recomendo que vivam esta experiência!

Daniella Michel, Brazil

Foi uma experiência incrível fazer parte desse programa de verão, foi algo novo para mim e que fico muito feliz em ter feito parte. O convívio com as crianças e os outros Voluntários foi ótimo. Já estou com saudades!

 Thais Emanuelle Pimenta, Brazil

“Seria uma tarde boa, mas eu não tinha nada para fazer em casa, então eu decidi ir até a Mais Caminhos para ver o que estava acontecendo por lá. Para minha grande surpresa eles precisavam de ajuda com algumas atividades para estas crianças e eu fiquei para ajudá-los.

Depois de uma pequena caminhada, falando sobre como somos capazes de ajudar aos outros fazendo pequenas coisas como escutar o que a outra pessoa tem a dizer, eu conheci essas crianças felizes e agitadas. Eu acho que estava um pouco nervosa por que eu não as conhecia e estava com medo de que elas não gostassem de mim ou não quisessem brincar comigo. Eu estava lá para ajudar, mas eu precisava que elas gostassem da minha companhia para que eu pudesse ajudá-las do jeito certo.

Depois de uma segunda caminhada, quando chegamos no centro de línguas para o almoço eu percebi que aquelas crianças eram diferentes e que eu aprenderia mais com elas do que elas comigo e que elas aceitariam o meu jeito de ser porque elas aceitam as diferenças. Elas sabem as regras, elas esperam umas pelas outras, elas se preocupam umas com as outras e elas se importam com todos. Eu encontrei um tipo de família lá, com pessoas diferentes, que falam de uma maneira diferente e algumas crianças que tem alguma coisa a mais que nós não somos capazes de explicar, mas podemos sentir. Eu dia um dia incrível e divertido.

Minha impressão é que o que eles fazem lá com as crianças é algo leve, amável, que ajuda não somente a eles e suas comunidades, mas nos ajuda também, os voluntários, a entender que nós podemos ser a diferença para alguém e que todos são capazes de fazer grandes coisas, o que precisamos fazer é acreditar em nos mesmos e ter esta pequena ajuda para nos manter no caminho de um futuro incrível.

Daniela Pacheco, Brazil

Ter tido a oportunidade de fazer voluntariado para a Mais Caminhos trabalhando Coaching Emocional para pré adolescentes da Favela do Cantagalo e Pavão-Pavãozinho, foi uma experiência inesquecível. A ideia do projeto era sensibilizá los frente a diferentes temas fundamentais para desenvolver a inteligência emocional, tais como a comunicação assertiva, o trabalho da autoestima e o aprender a reconhecer nossas emoções para canalizar de maneira positiva e não agressiva. As crianças são um potencial bruto, que tenho a convicção que se encaminhados a tempo com um bom exemplo, uma boa orientação e diálogo, podem chegar a abrir portas para o futuro mais promissor para cada um deles. Me marcou de maneira positiva o trabalho de harmonia que conseguiu ser criado, os momentos nos quais as crianças conseguiram se sensibilizar e abrir seus corações, isso somente fez com que o processo valesse a pena para mim.

Natalia Arias, Colombia

Meu nome é Alex Burns, eu tenho 27 anos e sou da Carolina do Norte, EUA. Eu trabalhei para a Mais Caminhos por seis meses depois de ter vindo ao Brasil outras duas vezes. Este é um país que eu não sinto que eu não me canso de conhecer! Eu vim pela primeira vez em 2014 e me apaixonei com as pessoas e a energia que me parece contagiante! Eu decidi em 2014 que eu queria retornar algum dia para viver e trabalhar no Rio por um tempo… então, eu fiz acontecer! Foi uma experiência verdadeiramente desafiadora e maravilhosa! A equipe me recebeu de braços abertos e se tornaram meus companheiros próximos e amigos com a mesma paixão em relação ao entendimento internacional e ajuda a populações marginalizadas. Foi uma experiência única ter uma equipe multicultural com perspectivas oriundas de diferentes vivências e culturas.

Minha experiência profissional é em gerenciamento de programas e eu sou comprometida em trabalhar na linha de frente do desenvolvimento internacional. Mais Caminhos foi uma oportunidade maravilhosa de trabalhar com a linha de base das comunidades que enfrentam desafios de desenvolvimento social e igualdade. A história vem provando que comunidades e nações são transformadas quando é dado às crianças os direitos humanos fundamentais e a chance de atingirem seu pleno potencial. Como uma pessoa que cresceu com direitos fundamentais, como educação, segurança e oportunidades de alcançar minhas aspirações, eu acredito que eu preciso liderar e carregar a responsabilidade de melhorar as perspectivas de futuro daqueles que não são tão afortunados que eu fui. Mais Caminhos me deu a chance de trazer estes objetivos para que se tornem realizáveis e para que me deem um grande entendimento sobre o que a desigualdade social e as limitações econômicas são e como elas afetam diretamente as vidas dos jovens brasileiros. Trabalhar na Mais Caminhos me deu a oportunidade de alavancar a vida de crianças que enfrentam os maiores obstáculos e vulnerabilidades em um país atormentado pela desigualdade, e isso serviu também como um catalizador para a minha carreira junto ao desenvolvimento global.

Não houve um único dia em que me aborreci na Mais Caminhos, no entanto, eu tenho genuinamente aprendido o valor da paciência e da perseverança! Estas são verdadeiramente crianças especiais com potencial em abundância.

Alex Burns, USA

Message Us on WhatsApp